Proteção além do capacete: conheça o seguro para mototaxistas

Com a evolução dos mecanismos tecnológicos e a entrada de aplicativos de locomoção no mercado de mobilidade urbana, a profissão de mototaxista passou a enfrentar mais concorrência. Determinados públicos, no entanto, ainda não são atendidos por alguns apps de locomoção por conta do custo, o que mantém as frentes de mototáxi ativas. Dessa forma, é importante que esses profissionais também sejam atendidos por um seguro para mototaxistas.

Se você, corretor de seguros, já viajou para o Nordeste, deve ter percebido que por lá o uso de mototáxi é bem comum. Ao analisar as principais capitais do Brasil, é possível verificar que todas possuem vários pontos de mototáxi ativos. Isso pressupõe que há demanda por esse tipo de serviço e, consequentemente, oportunidades para a proteção através do seguro.

Então, veja como a American Life pode ajudar nessa missão!

Quem é o público mototaxista?

O serviço de mototáxi surgiu em 1990, no Brasil, mais especificamente na região Nordeste do país. Em 1997, o geógrafo Modesto Siebra Coelho definiu essa profissão ‘como a nova onda no transporte urbano’. Inclusive, escreveu um livro com esse título. Esse serviço nasceu justamente como uma alternativa aos convencionais meios de transporte de massa. Desde então, são 22 anos de atividades e a classe preserva a demanda, mesmo com a tecnologia a favor de outros meios de transporte.

A começar pela ferramenta de trabalho que esse profissional utiliza, já podemos dizer que sua profissão o expõe constantemente ao risco. Além disso, a rotina é desgastante. O mototaxista é exposto diretamente ao sol e à chuva; seu meio de trabalho não oferece nenhum tipo de proteção à vida, com exceção do capacete; não há horário de trabalho pré-definido, o que faz com que muitos trabalhem inclusive no período noturno; e o índice de acidentes envolvendo motos torna a profissão bastante arriscada. Esses seriam bons motivo para buscar a proteção de um seguro para mototaxistas com cobertura principalmente em caso de invalidez, o que pode afastar o profissional de maneira temporária ou definitivamente do trabalho.

Isso significa que é imprescindível pensar em uma proteção que vá além do capacete. Você e a American Life podem fazer isso por ele. Há como proteger a família do mototaxista e o recurso financeiro oriundo de seu trabalho através do seguro para mototaxistas.

Oportunidades para o Seguro para Mototaxistas

Considere o risco mencionado no tópico anterior. Some a ele o trânsito pesado nas grandes cidades e a falta de segurança pública. Somente com essas informações, você, corretor de seguros, já tem argumentos para prospectar esses profissionais para um seguro de mototaxistas. O motorista está, sim, preocupado com o que pode acontecer com ele e com sua própria família, caso não tenha mais como exercer sua profissão em função de uma invalidez causada por acidente de trânsito.

A maioria das cidades, inclusive as capitais, oferecem serviço de mototáxi. Sendo assim, procure em sua região ou cidade por pontos de mototáxi. Verifique se há uma associação ou sindicato e ofereça esse seguro. Lembre-se que, de acordo com a legislação vigente, o mototáxi precisa estar devidamente licenciado para o transporte viário de passageiros.

Havendo associação ou sindicato regulamentado, o corretor poderá escalar a venda desse seguro. Na maioria das vezes, esses profissionais querem ter um seguro, porém ninguém nunca os procurou para orientá-los corretamente.

Como a American Life pode ajudar no Seguro para Mototaxistas?

Agora que você, corretor, já tem informações e sabe da importância da proteção para essa classe, veja como a American Life pode te ajudar e ser sua parceira ideal com esse público. A seguradora criou e oferece um produto específico para esses profissionais.

O seguro para mototaxistas da American Life está justamente preocupado com a consequência da maior exposição de risco desse cliente: o acidente. Para tanto, é possível contratar uma apólice de seguro de vida com cobertura por Morte e Invalidez por Acidente, além do funeral advindo pela mesma razão.

Outro aspecto importante, oferecido pela American Life, é a Garantia Adicional de Diária por Incapacidade Temporária. Ela é necessária caso o motorista apenas se machuque e precise ficar afastado do seu trabalho por 30 dias. A cobertura garantirá uma renda durante esse afastamento. Isso faz com que o mototaxista e sua família não fiquem sem os proventos oriundos do trabalho necessários à manutenção da vida. Há franquia de 15 dias nesse caso.

Diferenciais da American Life no Seguro para Mototaxistas

Considerando o público envolvido, já é um diferencial a seguradora oferecer um seguro específico para a categoria de mototaxistas. Isso por si só já é um ganho para quem deseja trabalhar com esse público. A Garantia Adicional de Incapacidade Temporária também é outro diferencial da American Life para esse seguro e, surpreendentemente, é cumulativa com as coberturas por Morte e Invalidez.

Se você é corretor de seguros, sabe que a família do segurado que recebe indenização por invalidez em função de acidente e vem a falecer em menos de um ano em função do mesmo evento, receberá, posteriormente, o valor indenizatório por morte com descontos da indenização por invalidez. No caso do seguro da American Life, no entanto, se esse valor for superior ao valor da indenização por morte, não será cobrada a devolução da diferença.

Tendo em vista esse panorama, o corretor de seguros tem em mãos um excelente produto para aumentar suas vendas, uma vez que prospectará um público inexplorado e com necessidade de proteção urgente. As objeções nessa venda serão mínimas, mas ainda assim o corretor precisa estar preparado para elucidar os diferenciais, bem como as regras do seguro para mototaxistas.

Lembre-se de consultar se seu prospect está regulamentado, pois esse detalhe é condição básica para nosso seguro. Fale com um de nossos representantes e faça o seu cadastro!

Vencer imprevistos e propor soluções sob medida aos clientes

Na edição de Abril/2020 a Revista Apólice falou sobre como o Mercado de Seguros tem se ajustado para atuar nessa nova realidade. Confira a declaração do nosso Diretor Comercial, Francisco de Assis Fernandes.

“No dia a dia é muito comum ouvir ou falar que “ocorreu um imprevisto”. Apesar de não desejarmos, sabemos que determinadas situações podem ocorrer e procuramos nos proteger de todas elas. Se eu tenho um imóvel, provavelmente preciso de proteção contra um incêndio. Se levo uma vida sedentária, preciso de proteção contra uma doença grave.

É possível que vivenciar uma quarentena, como essa que enfrentamos agora, seja o maior dos imprevistos que o mundo já encarou! Ninguém imaginou ver as ruas de São Paulo e de outras grandes metrópoles tão vazias. Dessa vez, não temos como precisar quando tudo voltará à normalidade. Mas, podemos imaginar como será o “novo normal”. E neste contexto que o mercado de seguros deve se destacar. Temos que idealizar soluções sob medida que amenizem as angústias de empresas, empreendedores e cidadãos. Temos que construir novos “previstos” a fim de ajudar a sociedade a se recuperar desse grande imprevisto. Que tal colocarmos nossas mentes e mãos à obra para levar mais segurança aos mercados no futuro próximo? Vamos juntos?

Via Revista Apólice

Saiba como as assistências da American Life podem ajudar a vender Seguro Residencial

Você já se pegou pensando que sua carteira poderia crescer mais se cada um dos seus clientes tivesse pelo menos um seguro a mais com você? Se a sua resposta, assim como acontece com a maioria dos corretores, for sim, que tal começar a vender seguro residencial para alcançar esse objetivo?

O seguro residencial é um dos produtos de maior aceitação do consumidor de seguro de automóvel. Como o custo médio desse produto costuma ser baixo, muitos segurados contratam uma apólice de seguro residencial e, o mais importante, tendem a fazê-lo com o corretor que oferecer o seguro residencial primeiro.

Não é raro que, ao oferecer produtos diferentes do seguro de automóvel para seus clientes, os corretores ouçam frases como: ‘eu nem sabia que você também trabalhava com esse tipo de seguro’.

Portanto, se você não aborda seu cliente para vender o seguro residencial, provavelmente está perdendo alguns, ou muitos negócios, para outros corretores ou até para canais de distribuição como bancos e lojas de varejo.

Como começar a vender seguro residencial?

Convencido a vender seguro residencial para seus clientes, a pergunta que normalmente assola os corretores de seguros é: como começar a vendê-lo?

Antes de tudo, toda venda é um processo que começa muito antes da própria oferta. Planejar é o segredo para alcançar bons resultados. Perceba que os corretores que têm os melhores índices de sucesso em fechar qualquer tipo de produto são aqueles que selecionaram o seu público, estudaram a hora de oferecer um novo seguro, avaliaram a melhor forma de oferecê-lo e escolheram o produto certo.

Se você definir esses quatro pontos antes de começar a vender o seguro residencial, suas chances de ampliar sua carteira nesse ramo se tornam muito maiores do que as chances de um corretor de seguros que simplesmente sai ligando para todos os seus clientes oferecendo o mesmo produto.

Portanto, antes de começar a vender seguro residencial, faça uma lista de todos os seus clientes e comece a dividi-los em grupos. Pode ser interessante, por exemplo, separá-los entre os que estão mais inclinados a contratar um seguro residencial e aqueles que têm menos propensão em adquirir uma apólice desse tipo.

Quer uma dica? Segurados que moram em apartamento tendem aceitar mais facilmente um seguro residencial, pois o seu valor será menor.

Quando vender o seguro residencial para o cliente?

Depois de definido o seu público-alvo, é hora de entender qual o momento ideal para oferecer o seguro residencial.

Uma boa estratégia nessa hora é fazer um levantamento de quais segurados, dentro do seu grupo alvo, já terminaram de quitar as parcelas do seguro do automóvel. Nessa situação, esses clientes estão menos comprometidos financeiramente e tendem a estar mais dispostos a assumir novos gastos.

Além das chances de vender seguro residencial serem melhores, ao mostrar ao segurado que você sabe que ele terminou de pagar a apólice de automóvel, ele também terá a sensação de que você está realmente cuidando dele, que está atento ao pagamento das parcelas e sempre à disposição para atendê-lo.

Estude o produto para vender seguro residencial

Depois de definido o seu grupo de foco e a hora em que você irá vender o seguro residencial, temos que decidir qual produto você irá oferecer.

Estudar as condições gerais de cada um dos produtos que você tem à disposição é essencial. Isso vai ajudá-lo a definir o produto que você oferecerá e auxiliará na construção de argumentos que serão importantes para contornar possíveis objeções que seu cliente pode usar para não fechar a proposta apresentada.

Um ponto importante que fará você vender seguro residencial com muito mais sucesso é escolher o produto que reúna o maior número de argumentos de venda, ou seja, um produto no qual as vantagens e benefícios oferecidos pela seguradora são mais atrativos para o segurado.

Neste ponto, existe um diferencial que sempre foi muito importante para a oferta do seguro residencial e que já caiu no gosto do consumidor brasileiro de seguro residencial: a assistência 24 horas.

Use a assistência como um fator de fechamento

Embora muito utilizada pelos segurados, poucos corretores se dão conta de que a assistência oferecida pela seguradora é um fator determinante na hora de vender o seguro residencial.

Isso, porque além de realmente muito práticas e de fácil uso por qualquer segurado, as assistências, se bem apresentadas, podem ser um fator que reduz o preço do seguro.

Pois é! Se você sempre pensou que a assistência era somente aquela cereja do bolo e que, quando o assunto era desconto, a única alternativa era buscar ajuda com o departamento comercial da seguradora, passará a pensar diferente a partir de hoje.

Apresente todos os serviços para o seu segurado

Antes de tudo, você deve escolher um produto que possui o maior número de serviços agregados à assistência 24 horas e também aqueles que possuem os serviços que os segurados mais utilizam.

Por isso, antes de entrar realmente na venda do seguro, questione o seu segurado se ele utiliza, com frequência, serviços específicos, como chaveiro, encanador e eletricista. Imagine que seu cliente utiliza um chaveiro pelo menos uma vez por ano, um eletricista duas vezes ao ano e um encanador duas vezes ao ano. Se a mão de obra desses profissionais for algo em torno de R$ 100, significa que, por ano, esse segurado paga R$ 500 reais só de mão de obra para reparos na residência. 

Com um seguro residencial que ofereça assistência completa, o segurado não precisará pagar essa mão de obra, ou seja, esse valor viraria um ‘desconto’ no valor total do seguro. Isso trará um argumento irrefutável na hora de convencer seu cliente a fechar o seguro residencial.

Você perceberá que, geralmente, o valor da soma dos serviços fica até mais caro que o próprio seguro.

Mostre ao segurado que o seguro residencial é muito barato

Por fim, um dos fatores que mais influencia os segurados a não contratarem uma apólice residencial é a ideia de que seu valor será proporcional ao do seguro de automóvel e, como sua casa vale muito mais, ele tende a pensar que irá pagar muito pelo seguro.

Mostre ao cliente a simulação de um cálculo e as vantagens da assistência 24 horas. 

Quer saber mais sobre a American Life? Conheça nosso portfólio de produtos